Todos nós temos objetivos que queremos alcançar na vida. O grande problema é que ninguém se dispôs a nos ensinar sobre como criar uma estratégia para atingir esses objetivos.

Como não vemos amigos e parentes falando sobre o uso de estratégias para atingir grandes objetivos, temos uma tendência a acreditar que a vida se resume a viver um dia depois do outro.

Você já deve ter percebido que viver um dia depois do outro não satisfaz as pessoas. Esse estilo de vida monótono é a causa de muitos tipos de insatisfações. Esse estilo de vida passivo, baseado na espera, é mais apropriado para as plantas e os animais.

A natureza nos equipou com os recursos necessários para imaginar o futuro (sonhar), transformar sonhos em objetivos e criar as estratégias que se transformarão em ações.

São essas ações que materializam nossos sonhos e os transportam para a realidade.

Sonhar e transformar sonhos em realidade é a essência humana. Essa é a expectativa da natureza sobre cada um de nós.

Isso significa que a sua realização pessoal depende da sua capacidade de mudar a sua realidade através de sonhos, objetivos, estratégias e a ação.

Alguns homens que viveram entre nós tiveram sonhos tão grandes que acabaram mudando o curso da história.

Você não precisa chegar tão longe. Só que ao tentar mudar sua própria realidade, você já estará fazendo aquilo que existe de mais importante na sua existência. Você estará agindo como a sua natureza espera que você aja.

Vamos fazer uma analogia para entender melhor. Observe logo acima a foto que está no início do artigo. Percebeu o farol apagado no centro da imagem? Entenda o seu objetivo como sendo esse farol apagado.

Tecnicamente falando os faróis são estruturas equipadas com uma fonte luminosa para orientar a navegação. Os objetivos são para as pessoas aquilo que os faróis são para comandante de um navio. Você é o comandante. Sua vida é o navio.

Sempre que você levantar a cabeça, não importa se está noite ou dia, sol ou chuva, ao olhar o caminho, você verá o seu farol (o seu objetivo) que te orienta na sua jornada. É o seu objetivo que permite a percepção de onde você está, onde quer chegar e quais caminhos podem ser percorridos.

Uma vida sem um grande objetivo é semelhante a próxima figura logo abaixo.

Observe na próxima figura e verá um grande cenário, cheio de obstáculos e vazio de objetivos. Essa imagem representa uma vida sem orientação, sem farol, sem objetivos.

Sem o farol dos seus objetivos indicando para onde você deve ir, qualquer caminho serve, qualquer objetivo final serve. O grande problema é que isso não satisfaz a sua natureza. Seguir a vida sem um grande objetivo significa frustrar a nossa natureza. Significa abrir mão do que nos define como humanos.

Isso tem um preço. Você terá que carregar nas costas a frustração existencial de não ter estabelecido um objetivo e de não ter tentado seguir o seu caminho.

Sem um objetivo, qualquer caminho serve. Todos eles vão levar para a frustração da sua existência.

O caminho

Agora que você entendeu a importância de estabelecer um objetivo chegou o momento de compreender a importância de conhecer o caminho.

A grande dificuldade é que não existe apenas um caminho para atingir o seu objetivo. Existem infinitos caminhos com os mais variados tipos de obstáculos que vão resultar em níveis de dificuldade maiores ou menores dependendo de você. Isso mesmo. A dificuldade maior depende de você e não do caminho.

Na figura que estamos utilizando como analogia é possível observar muitas pedras no caminho. Existe um trecho com água logo depois das pedras. Pode ser a foz de um rio. Ela pode ser profunda e nos obrigará a adquirir a habilidade de nadar. Podemos escolher entre atravessar na maré baixa. Se for uma enseada, talvez não seja necessário nadar, mas teremos que gastar tempo e energia contornando a enseada.

Observe que estamos estudando o ambiente externo para que possamos saber quais dificuldades iremos enfrentar, quais habilidades precisamos desenvolver, quais informações precisamos adquirir, quais conhecimentos devemos buscar e quais treinamentos devemos realizar antes de enfrentar os obstáculos.

Nós já estamos criando uma estratégia. Estamos encurtando a distância entre nós e o nosso objetivo.

Perceba que sem estabelecer um objetivo, não teremos o farol que nos guiará. Não teremos parâmetros para estabelecer o melhor caminho entre muitos que existem. Observe a figura abaixo.

Temos três caminhos diferentes. Três estratégias com obstáculos e níveis diferentes de dificuldade.

Os números de caminhos possíveis são infinitos, mas aqui temos três caminhos que você traçou como possibilidades para uma escolha. Todos os caminhos levam para o seu objetivo que está simbolizado pelo farol.

Cada caminho possui obstáculos diferentes. Para cada obstáculo você terá que obter conhecimentos, desenvolver habilidades e aprimorar suas virtudes. Você pode aproveitar a bagagem que já possui e com isso pode identificar os melhores caminhos para aquilo que você já sabe e domina. Isso significa que aquilo que você é hoje e aquilo que pretende ser, será determinante para a escolha do caminho.

Podemos concluir que o caminho que eu trilhei e que me fez atingir determinado objetivo pode não funcionar para você caso queira atingir o mesmo objetivo. Isso nos faz entender que somos os únicos responsáveis por escolher o caminho perfeito para nós, sempre com base naquilo que somos. Será difícil ou fácil, possível ou impossível, tudo dependerá do que somos (e seremos) e não do que existe no caminho.

Recursos internos

Vamos imaginar um objetivo muito comum entre os leitores do Clube dos Poupadores que é atingir a independência financeira.

Mais na frente vou mostrar que a independência financeira (dinheiro) nunca deve ser encarada como um objetivo principal. Ela é apenas uma das muitas metas ou marcos que você pode querer atingir durante o caminho para viabilizar um grande objetivo. Mas vamos imaginar a independência financeira como uma meta comum entre muitas pessoas.

Existem 1001 maneiras para atingir a independência financeira. Eu atingi a minha por volta de 2010 e por quase 15 anos trabalhei intensamente como empreendedor na minha própria empresa de tecnologia. Eu não posso recomendar que você siga o meu caminho. Ele só funcionou para mim e teve como base aquilo que eu me tornei com o tempo. Vou contar um exemplo.

Enquanto as outras crianças jogavam bola no prédio onde passei minha infância, eu me divertia trancado no meu minúsculo quarto, no meio de livros incompreensíveis de eletrônica, tentando construir uma estação de rádio amadora com peças que havia retirado de uma sucata de televisão. O meu primeiro computador, um 486, foi construído por mim quando era adolescente, já que não tinha dinheiro suficiente para comprar um computador de marca pronto para uso. Mais de 20 anos atrás, antes da internet existir comercialmente no Brasil, eu já acessava “a coisa primitiva” que conectava os computadores através de redes que poucos conheciam.

Observe aqui a importância da bagagem que acumulamos durante a vida, desde a infância, para que possamos enxergar objetivos que ninguém enxerga e trilhar caminhos que ninguém percebe.

Para conquistar sucesso na área profissional e financeira será necessário equipar-se. Imagine que para iniciar a caminhada você precise preparar a sua bagagem como mostra a figura abaixo. Essa bagagem contém os “kits” com os conhecimentos, habilidades, valores e as virtudes necessárias para a caminhada.

Veja o exemplo do conhecimento financeiro. Ter o conhecimento necessário para assumir o controle da sua vida financeira faz parte do kit básico para atingir qualquer grande objetivo. O dinheiro sempre está direta ou indiretamente relacionado com a nosso poder de ação no mundo onde vivemos.

Você só não deve esquecer que o dinheiro é apenas um meio facilitador. Existem outros “kits” que você precisa levar com você. O enriquecimento externo (profissional e financeiro) é frágil e insustentável se não existirem bases sólidas oferecidas pelo enriquecimento interior.

Existem livros, cursos, treinamentos que oferecem bases teóricas para a montagem do seu kit de sobrevivência. Existem as histórias da sua vida e as histórias vividas por outras pessoas que também são grandes fontes de conhecimento. Você precisa observar quais são as exigências do caminho escolhido por você para começar a montar o seu kit de viagem agora mesmo.

A sua visão

Não é fácil enxergar os seus objetivos, os caminhos e os seus recursos internos para poder iniciar a sua jornada. É possível que você só consiga ver vultos. Falta clareza na imagem. Vou fazer outra analogia para facilitar o seu entendimento.

Você só pode enxergar longe utilizando um binóculo como esse que aparece na figura abaixo. Esse binóculo é a sua visão de mundo, o conjunto de crenças e emoções que fazem você enxergar a realidade ao seu modo.

Nem preciso dizer que o seu modo de ver a vida é único. Cada pessoa tem sua visão de mundo e isso interfere muito na definição dos seus objetivos, caminhos e recursos interiores.

Se você acredita (crença) que é uma pessoa pequena, incapaz, que não vale muito, que não serve para muita coisa, que não é capaz de mudar, que nasceu assim e vai morrer assim, essa é a lente que existe no binóculo que você utilizará para determinar os seus objetivos.

Certamente esses objetivos serão extremamente pequenos e mesmo assim você passará a vida inteira se arrastando e se lamentando na tentativa de atingi-lo.

Se no outro extremo, você acredita que sabe tudo e pode tudo (prepotência), se você acredita que é melhor e superior a todos os outros (arrogância), tem excesso de confiança e de otimismo (ilusão), essas lentes irão distorcer a sua realidade. Você vai traçar objetivos inadequados, escolherá caminhos subestimando as dificuldades e o seu preparo. Não enxergará os recursos que precisa levar com você e sua caminhada será frustrada.

Se você acredita que o mundo é um mar de sofrimentos onde as pessoas estão constantemente brigando e trapaceando, você utilizará as lentes do medo. Provavelmente você vai enxergar todos os caminhos possíveis como muito perigosos. O mundo, diante dos seus olhos, será mais hostil do que realmente é. A lente do medo será suficiente para a sua total paralisia.

Observe que as coisas que você acredita acabam funcionam como lentes que distorcem a realidade. Sem a clareza necessária você não vai conseguir traçar um objetivo e a estratégia para atingi-lo.

O combustível

Aqui temos o grande problema das pessoas. Muitas conseguem identificar com clareza seus objetivos. Depois elas escolhem os melhores caminhos. Passam vários anos da vida adquirindo conhecimentos, desenvolvendo habilidades e virtudes. O problema é que falta o combustível para dar o primeiro passo ou falta o combustível durante a longa caminhada.

Esse combustível que muitos chamam de motivação, na verdade são suas emoções. O seu combustível é a sua emoção. Ela faz você caminhar.

Somos dois dentro de uma só pessoa. Temos o nosso lado racional e emocional que os orientais representam através da imagem de um menino sobre um búfalo.

O menino, ou a menina, é o seu lado racional. Muito inteligente, mas pequeno e frágil diante do seu lado emocional e instintivo que é representado por um grande búfalo. É o búfalo que faz você caminhar. Ele resiste a toda decisão racional. Ele representa a força da Resistência que faz você tomar decisões que vão na direção contrária dos seus objetivos e planos para o futuro.

É por isso que muitas vezes queremos uma coisa, planejamos essa coisa e no momento da ação fazemos exatamente o contrário, caminhamos e buscamos coisas que nos distanciam dos nossos objetivos.

Dominar essa Resistência, esse búfalo que nos aproxima da animalidade, pode ser uma tarefa que levará uma vida inteira.

Estudando para um dia poder controlar o búfalo que resiste e dificulta nossa caminhada.

Você só vai conseguir dar o primeiro passo e manter o ritmo da longa e difícil caminhada até o seu objetivo quando domar e controlar essa força que resiste. Quanto maior o objetivo, maior a resistência que você mesmo criará para atingir esse objetivo. Por este motivo é tão importante dividir um grande objetivo em pequenos objetivos ou metas.

Se você já estudou sobre estratégias para atingir objetivos deve ter observado que os especialistas recomendam pequenas comemorações quando cada pequeno marco (metas) é atingido. Isso é fundamental para o seu lado emocional se sentir satisfeito. Usando a analogia seria como premiar o seu búfalo resistente com um pequeno presente sempre que ele conseguir te levar até a próxima meta.

Veja a representação na figura abaixo:

As metas precisam ser pontos específicos na caminhada. É importante determinar uma forma quantitativa que permita saber que você atingiu a meta. Também é importante estabelecer um prazo para atingir cada meta.

Sempre que uma meta é atingida você terá um motivo para comemorar. É como fornecer água e comida para o búfalo que está transportando você nas costas, tentando resistir, tentando desviar do caminho que você estabeleceu ou simplesmente empacando diante de qualquer distração. É isso que vai gerar a motivação necessária para atingir a próxima meta.

É muito importante que você compreenda a ideia de que a vontade ou a sua intenção (racional) de atingir um objetivo não são suficientes.

Sem o estimulo emocional, sem a luta diária contra a força que resiste, você não vai conseguir transformar a vontade em ações. Sem ações a sua estratégia ficará no papel para sempre.

É por este motivo que muitas vezes as pessoas mais humildes, que passam por situações sérias de pobreza, privações e humilhações, adquirem uma força de vontade acima da média na busca dos seus objetivos.

Não sei se você já teve a curiosidade de ler biografias ou ouvir as histórias de pessoas bem-sucedidas. Você sempre encontrará histórias de pessoas que venceram verdadeiras guerras travadas contra a própria Resistência e contra forças externas que também resistiam ao crescimento. O dinheiro sempre acaba sendo apenas uma consequência de um enfrentamento que possuiu outros alvos.

Objetivo errado

Recentemente uma pessoa me enviou um e-mail dizendo que fazia um ano que estava tentando ganhar dinheiro com a educação financeira. Ela tinha criado um site e esse site não recebia visitas e não fazia sucesso. Se queixava por ter passado um ano trabalhando de graça. Então, ela queria que eu respondesse qual era o meu segredo. Me pediu o nome das ferramentas que eu utilizava, quais caminhos eu trilhei para tornar o Clube dos Poupadores um dos blogs de educação financeira mais visitados do país.

Eu respondi que o problema era o objetivo dela. Não tinha nenhuma relação com ferramentas ou com o mapa do caminho certo. O farol dela estava errado.

No e-mail a pessoa deixou claro que o seu objetivo principal era o dinheiro. O dinheiro era o farol. A educação financeira seria apenas o meio para atingir o objetivo. O problema é que ganhar dinheiro é um objetivo de luz fraca. Ele não produz a força de vontade necessária para vencer todas as formas de Resistência que irão surgir pela frente até o dinheiro começar a aparecer. As pessoas logo desistem quando estabelecem “ganhar dinheiro” como objetivo principal da sua jornada.

Um bilionário que tivesse apenas o dinheiro como objetivo teria desistido do primeiro bilhão quando atingisse o primeiro milhão. O milionário teria desistido ao atingir os primeiros R$ 100 mil. A pessoa dos R$ 100 mil teria gasto os primeiros R$ 10 mil fazendo outras coisas e nunca chegaria nos R$ 100 mil.

Quando o objetivo é o apenas o dinheiro, você desiste rapidamente e perde o foco, empaca ou se desvia diante das distrações que o próprio dinheiro pode comprar.

O meu caso é justamente o contrário. Propagar a educação é o meu objetivo. Esse é o meu farol. Ganhar dinheiro é apenas um meio que irá me servir para atingir esse objetivo quando estiver divulgando a educação financeira ou qualquer forma de educação que proporcione o desenvolvimento das pessoas.

Transformar a vida das pessoas é um objetivo grandioso e forte que diariamente fornece a força de vontade que preciso para continuar enfrentando as forças da Resistência que vivem dentro de mim. Isso interfere na qualidade do trabalho que faço escrevendo artigos, livros e produzindo cursos.

O dinheiro é o meio que oferece as condições necessárias para que eu mantenha toda a estrutura funcionando. Ele fornece os recursos que preciso para manter o site no ar e para ter tempo livre para estudar e produzir novos conteúdos.

Quando essa pessoa, que citei, recebeu minha resposta, creio que ficou desanimada. Nunca mais respondeu. Acabo de verificar que o seu site não está mais no ar.

Ela tentou se servir da educação (caminho) para ganhar dinheiro (objetivo) quando o segredo do sucesso seria o contrário. Ela deveria se servir do próprio tempo, trabalho e dinheiro (caminho) para promover a educação entre as pessoas (objetivo).

O dinheiro precisa ser visto como algo que auxilia no caminho para atingir um objetivo maior. O dinheiro será uma consequência e não um fim.

Quando o seu objetivo é grande isso significa que ao ser atingido irá impactar a vida de muitas pessoas.

Isso faz do seu farol ser diferente dos demais. Observe a figura logo abaixo e compare com a figura do farol no início do artigo. Quando o seu objetivo é grandioso ele terá luz suficiente para iluminar o seu caminho e o caminho de todas as pessoas que tiverem contato com o seu trabalho.

 

Se você gostou desse artigo, recomendo a leitura do meu novo livro Resistência: a força que se opõe a você, (visite aqui e saiba como).

Você gostou desse artigo?
SimNão

Comentários

Mais um excelente artigo Leandro! E recomendo a todos o curso “Resistência”, que fiz recentemente, e realmente toca em pontos fundamentais para continuarmos seguindo o caminho da prosperidade.

Olá Marco. Obrigado! Dentro desse site vamos desenvolver mais temas relacionados ao curso, mas sem toda a profundidade que só o formato de curso permite desenvolver. Agradeço por participar da primeira turma e pelo convívio no decorrer dos meses.

Excelente Leandro! Fico impressionado com a facilidade que vc tem em simplificar as coisas. Colocar no papel o que é necessário para se ter uma educação financeira.
Aprendo muito com os seus artigos.
Você é a luz do farol de muitos leitores!

Excelente artigo Leandro! As ilustrações tornam ainda mais enriquecedor o artigo. A comunicação visual como este exemplo do farol cria um mapa mental ainda mais claro sobre a busca das metas e objetivos que estamos buscando. Estou planejando fazer seu curso na próxima turma (3ª).

Leandro, qual a sua opinião sobre os programas de milhas? Você tem algum artigo a respeito no Clube dos Poupadores? Já procurei, mas não encontrei lá. Caso não tenha, seria uma sugestão, pois hoje esses programas são cada vez mais divulgados, como passagens aéreas pela troca de milhas mas tenho minhas dúvidas sobre a relação: anuidade do cartão x gastos (para acumulo de pontos) x ganhos pela troca. Pesquisei e li sobre o assunto, mas ainda não consigo ter uma opinião sobre o assunto, exceto para aqueles pessoas que tem um custo elevado de vida.

Oi Daniel. As passagens aéreas que você recebe através dos programas de milhas foram compradas por você. Não são gratuitas. Além da anuidade as empresas de cartão cobram taxas dos comerciantes (que no Brasil são muito elevadas). Os comerciantes embutem esse custo por venda no preço de cada produto que vendem. Ao receber um “benefício” dessas instituições você só estará recebendo a devolução de um fragmento das taxas que você pagou de forma indireta ou direta para usar o cartão. Eles tiram de você um determinado dinheiro e fazem de conta que estão entregando algum benefício gratuito para você na forma de pontos, passagens ou quinquilharias. Já que dificilmente conseguimos descontos comprando sem o uso do cartão a fantasia continua e devemos avaliar quais cartões oferecem uma maior “devolução” do que pagamos.

Verdade, Leandro! E como diz o ditado “não existe almoço grátis”. Assim como há poucas pessoas no Brasil que tem o hábito de poupar, de certa forma, também são poucos que sabem avaliar se é interessante ou não ter um cartão com anuidade altíssimas para ter como contrapartida as milhas. Acredito que esses programas sejam mais um gatilho para aumentar o consumo das pessoas.

Oi Daniel. Não tenha nenhuma dúvida que esse tipo de programa só tem uma finalidade: Fazer você consumir mais, gastar mais dinheiro de em coisas que não são importantes e necessárias, apenas para acumular pontos e mais pontos. Conheço pessoa que gastam mais e compram aquilo que não precisam para acumular esses pontos. Seria mais barato comprar a passagem área utilizando dinheiro através de alguma das muitas promoções que aparecem durante o ano.

Obrigado Rosana. O nome ficou menor, não tem acentuação e trata do desenvolvimento do nosso senso interior, nossa capacidade de pensar, refletir e fazer escolhas de forma consciente, fora do senso comum.

Seus artigos me motivam. Já o acompanho há cerca de um ano e assim que possível farei o curso de Resistência. Obrigado pelos artigos e parabéns.

Parabéns Leandro, esse artigo tem capacidade de mudar as vidas das pessoas que colocarem em prática as informações passadas. Parabéns meu caro, fico sempre olhando o meu e-mail aguardando os seus envios, pois são excelentes, Feliz 2018..

Excelente artigo Leandro!! Muito obrigada por compartilhar tanta sabedoria!! Hoje mesmo tive um sonho muito parecido com este farol. Sonhei que tinha um destino e eu o enxergava olhando para cima para saber sua direção e trilhei um difícil caminho para atingi-lo. Isso é o meu subconsciente me mostrando que estou cheia de objetivos para minha vida e que me esforçando, eu chego lá 😉
Estou ansiosa para começar o curso Resistência agora no início de 2018! Tenho certeza que ele será excelente, como todo o seu trabalho, Leandro! Um abraço e parabéns!

Oi Mariana. Sonhos costumam ser negligenciados, mas eles são recados importantes do nosso inconsciente. É justamente a parte da nossa mente que trabalha 24h horas por dia realizando inúmeros processos ainda desconhecidos pela ciência. Não existem dúvidas de que ele interfere diretamente nas nossas decisões diárias e nos rumos da nossa vida. Grandes mentes como Sigmund Freud e Carl Jung, passaram grande parte da vida estudando o significado dessas mensagens.

Léo, gostei muito desse artigo. Tô acompanhando o clube já alguns meses e até adquiri seus livros e tô amando ler. Parabéns pelo seu trabalho!

Olá Patrícia. Muito obrigado. Ao adquirir os livros você passa a apoiar os projetos que realizo gratuitamente como esse site e o Clube dos Poupadores. Obrigado!

Olá Leandro! Excelente artigo, parabéns.
Isso me fez refletir sobre o dinheiro como objetivo, acredito que grande parte das pessoas utilizam o dinheiro como objetivo principal e as atividades como caminho. Eu mesmo acabei fazendo isso, mas me dou a chance de dar um passo para trás e refazer! Sou da primeira turma do Resistência e sem dúvidas todo nosso contato foi um diferencial no modo de conduzir meu dia a dia, minhas “lutas”. Diariamente lembro da palavra PROFISSIONALISMO, que acabou se tornando um valor para mim. Continuo na busca de ser cada dia melhor. Valeu, Leandro!! Gratidão!!

Olá Camila. A depuração dos nossos valores é o que faz toda a diferença. Eles precisam ser cultivados. É sobre eles que construímos a nossa vida. “Valores tortuosos” = “Vida desequilibrada e torta”. As pessoas gastam muito tempo e energia realizando seu trabalho (muitas vezes trabalhando para os outros) buscando elevado nível de profissionalismo. Quando chega o momento de cuidar da própria vida, projetos, sonhos, acaba fazendo tudo com base no amadorismo. O profissionalismo fica no trabalho e acaba gerando resultados para nossos empregadores enquanto a nossa vida é conduzida de forma descuidada, desorganizada e sem planejamento. É uma mudança de mentalidade que faz a diferença. A nossa vida muito valiosa e importante para ser conduzida com amadorismo.

Leandro Avila, boa tarde. Leio seus artigos do Clube dos Poupadores com muita atenção. Nunca pensei em minha vida financeira como penso agora e mudei os rumos dos gastos da família. Eu era a típica trabalha e gasta mais que o salário e deixava o banco muito feliz. Até que um dia estava com dois emprestimos bancárioa e com o cheque especial também “quase estourando” e uma revista “caiu” em minhas mãos ensinando como organizar a vida financeira. Fiz tudo o que a revista estava orientando e deu certo. Na sequencia o Clube dos Poupadores entrou na minha vida. Confesso que no começo não entedia muito do assunto, mas como havia organizado minha vida financeira comecei a ler todos os seus artigos. Aprendi muito. O que sou muito grata a você Leandro Avila. Meus pais ensinaram-me a trabalhar, mas nunca ensinaram-me a ganhar dinheiro ou mesmo a poupar ou mesmo fazer aplicações financeiras. Passado todos estes anos de aprendizado, consegui finalmente investir. Agora apesar do medo quero ir alem nos investimentos que dão certo. Estou feliz comigo mesma, pois sozinha e uma mulher sem conhecimento algum da área financeira consegui vencer o medo e caminhar. O que nos paralisa é o medo de fazer investimentos que não dão certo. Eu sou muito medrosa, então fico estudando algum tempo as vezes um ou dois anos sobre o assunto antes de aventurar-me. Eu estou fazendo diferente com meus filhos. Comprei o livro Pai Rico/Pai Pobre e dei para meu filho ler. Espero que com o meu exemplo ele consiga investir e ter uma vida mais confortável financeira. Atualmente estou aposentada. Não estava preparada para aposentar. Resolvi de repente e há dois anos estou fora do mercado de trabalho. Tenho muita vontade de voltar a trabalhar, pois sinto falta do trabalho, não do que eu fazia. Sinceramente não sei por onde começar. O tempo está passando e não consigo decidir. Mudei para o interior, fiz diversos cursos na área da beleza, mas ainda não consigo colocar nada em pratica. Algum medo está paralisando minha vida e não consigo “enchergar”. O seu último artigo me fez pensar bastante na minha vida como todo. Espero que nos seus próximos artigos você consiga ajudar-me como sempre o faz. Um grande abraço a você e tenha um ótimo ano 2018. arinhosamente,
Isabel

Olá Isabel, esse medo de inovar, prosperar, investir, crescer, enriquecer e ser feliz é um sério problema que paralisa milhões de pessoas. O pior é que esse tipo de medo paralisa justamente as boas pessoas, aquelas que poderiam melhorar a própria vida e a vida de as outras que tivessem contato com o seu trabalho. Pessoas como você quando vencem esse tipo de medo só se arrependem de uma coisa. De não ter superado o medo antes, muito antes, quando ainda existia mais tempo. As pessoas que acordam todos os dias para tornar o mundo um pouco pior não sentem esse tipo de medo e por isso acabam indo longe, ocupando todos os espaços da sociedade, controlando os postos de poder econômico e até político.

Sou leitor assíduo do site e participei da primeira turma do curso resistência. Recomendo demais o curso, muito enriquecedor, vale muito a pena.

Bom dia, Leandro.
Mais um ótimo artigo. Obrigado por compartilhar.
Você pretende republicar os artigos do “Transcendência Financeira”? Havia muitos textos maravilhosos lá, como “A melhor dieta é a última (partes 01 e 02); um que falava sobre o nosso tempo, acho que o título era “ignorância seletiva”.

Seria bem legal se eles fossem republicados.

Muito obrigado pelo seu trabalho.

Olá Leandro, mais um artigo fantástico. Eu aprendi e continuo aprendendo muito com você. Tenho certeza que diversas outras pessoas também. Me inscrevi na 1a turma do curso resistência, só que não consegui me organizar no ano passado para fazê-lo com dedicação total. Esse ano o farei. Muito obrigado por compartilhar seus conhecimentos e sabedoria.
Gratidão!
Um abraço!

Olá Leandro. O conteúdo da primeira turma continua disponível, vários alunos da primeira turma continuam acessando as aulas, alguns estão revendo as aulas e participando dos comentários.

Sem palavras para descrever esse artigo. Excelente.
E realmente, uma das coisas mais difíceis é encontrar o nosso objetivo e nossos talentos. Para quem encontra, o sucesso é consequencia.

Deixe um comentário