Primeiro, clique no “play” (▶) e assista ao vídeo acima antes de ler o artigo. Obs: Pequeno trecho do documentário “Mountain”.

Há muito tempo, vi uma reportagem sobre um alpinista que estava prestes a concluir o grande objetivo da sua vida, que era atingir o cume das sete maiores montanhas do planeta.

Naquela época, eu ainda não estava pronto para entender aquilo. Parecia uma loucura. Intimamente, no o conforto do meu escritório, critiquei aquele alpinista maluco.

Pensei: o que poderia fazer alguém deixar o conforto da sua rotina diária para atingir um objetivo tão grandioso, perigoso e incompreensível para todos quem vive aqui em solo firme?

Lá no cume dessas montanhas, não me parecia existir nenhum prêmio, nenhum tesouro, nenhum segredo e ninguém estaria lá para assistir a vitória e oferecer uma “medalha”. Parecia uma conquista solitária. Aos que ficavam nos pés das montanhas, olhando aqueles que se aventuram nas alturas, tudo parece uma loucura.

Mas alguma coisa dentro de mim dizia que aquilo era simbólico e existia um segredo escondido que nem todos poderiam compreender. Como uma música que eu não era capaz de ouvir. Era como se todo objetivo grandioso, pudesse ser comparado com a escalada de uma grande montanha.

Muitas vezes, ser o melhor profissional da sua área, construir a maior empresa do seu segmento, atingir o sucesso financeiro, profissional ou pessoal, depende de um grande esforço pessoal e solitário, como o do alpinista aos pés de uma grande montanha.

Suspeitei que essas pessoas, que definem grandes objetivos na vida, entendiam algo que eu ainda não conseguia entender. Era como julgar aquele que dança como sendo um louco, quando você é que ainda não tem ouvidos para ouvir a música que eles ouvem.

Com o tempo, meus estudos e a experiência que só a vida pode nos dar, percebi que o que move as pessoas que possuem grandes objetivos não é o cume da mais alta montanha, a fortuna ou o sucesso ao atingir um objetivo específico. Isso seria muito pouco.

O que nos tornamos para atingir o objetivo é mais importante do que o objetivo atingido, mas nem todos estão prontos para entender isso.

É como se o grande objetivo fosse apenas uma grande desculpa para se tornar grande.

Existe uma guerra interna a ser travada contra a nossa Resistência para que possamos nos tornar a pessoa que será capaz de atingir o cume do nosso grande objetivo.

Para atingir o cume de uma grande montanha, você precisa se tornar tão grande quanto ela. Precisa buscar o conhecimento. Depois, precisa aprender a fazer planos, ser organizado e disciplinado na sua execução. Você precisa adquirir a paciência e a persistência para não desistir na primeira dificuldade. Você precisa descobrir quais são as suas limitações, seus defeitos, vícios, maus hábitos, ignorâncias e inexperiências, para que tudo isso possa ser superado antes de atingir o seu objetivo. Todas essas superações juntas formam a verdadeira montanha, uma montanha pessoal que existe dentro de cada um. Essa é a grande guerra interior que precisa ser vencida.

A pessoa que está no pé da montanha, planejando e iniciando a escalada, nunca será a mesma pessoa que atingirá o cume. Todo trabalho necessário para atingir o objetivo, a transformará em outra pessoa, rica em virtudes, sabedoria e qualidades que não existiam antes. Esse é o grande tesouro que nos espera no cume.

Vencer a guerra interna contra a força da Resistência que nos impede de crescer e nos tornar melhores, para atingir nossos grandes objetivos, é a única coisa que realmente nos separa das nossas metas. A montanha é apenas simbólica. Os altos e baixos simbolizam a nossa Resistência interior.

Não adianta dominar as técnicas e adquirir as melhores ferramentas, se você não for capaz de vencer aquilo que resiste dentro de você.

Tenha um grande objetivo, e a Resistência se levantará diante de você, na forma de uma montanha gigante, que deverá ser superada, passo a passo, metro a metro, até que você se torne tão grande quanto ela.

Se você gostou desse artigo, recomendo a leitura do meu novo livro Resistência: a força que se opõe a você, (visite aqui e saiba como).

Receba um aviso por e-mail quando novos artigos como este forem publicados no site. Inscreva-se aqui.

Compartilhe com seus amigos nas redes sociais: